A SÍNDROME DE DIÓTREFES

Por Edson Mesquita

 

“Escrevi à igreja, mas Diótrefes, que gosta muito de ser o mais importante entre eles, não nos recebe. Portanto, se eu for, chamarei a atenção dele para o que está fazendo com suas palavras maldosas contra nós. Não satisfeito com isso, ele se recusa a receber os irmãos, impede os que desejam recebê-los e os expulsa da igreja” (III João 1:9-10).

Gaio, a quem João dirige a carta, tinha um coração humilde e despojado, por isso recebia os mestres itinerantes. Diótrefes, por sua vez, os rejeitava. Pelo que parece, João havia escrito uma carta anterior, mas Diótrefes não a considerou. Falava mal de João e rejeitava o seu ensino, como também hostilizava a todos que recebiam os mensageiros por ele enviados. Diótrefes era o típico “ditador”, gostava de ser o mais importante (v. 9). Chegava a usar sua influência até mesmo para expulsar pessoas. 

A “síndrome de Diótrefes” está presente na Igreja desde o seu início. É uma doença de alma que atinge principalmente líderes. A influência greco-romana, da estrutura de liderança hierárquica, transforma a igreja numa empresa, onde tudo funciona pela força da organização e não pela ação do Espírito. Nesse ambiente enfermo, líderes se aproveitam para compensar suas neuras e complexos de inferioridade agindo com autoritarismo. Na tentativa de se auto-afirmarem, buscam títulos e posições eclesiásticas;  exigem honra e obediência cega, como se fossem donos do rebanho! 

Mas Jesus disse: “… Vocês sabem que os governantes das nações as dominam (modelo romano), e as pessoas importantes exercem poder sobre elas. Não será assim entre vocês. Ao contrário, quem quiser tornar-se importante entre vocês deverá ser servo, e quem quiser ser o primeiro deverá ser escravo” (Mateus 20:25-27). Nosso modelo é Cristo – “… Embora sendo Deus… esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo…, humilhou-se a si mesmo e foi obediente até a morte…” (Filipenses 2:6-8). 

Na Igreja o único Cabeça é Cristo, abaixo dEle tudo é corpo. Líderes devem ser respeitados e honrados, porém, eles não estão acima, apenas à frente. Todos são servos uns dos outros (Gálatas 5:13). O princípio da autoridade continua valendo, mas ele é sustentado pelo Espírito, num ambiente de liderança conquistada pelo exemplo (I Pedro 5:3) e submissão voluntária de quem é realmente ovelha (João 10:4). Como ninguém é de ninguém, quem se rebela não fere o líder, mas fere o princípio da autoridade. Diótrefes não pode prevalecer – “… Chamarei a atenção dele para o que está fazendo…” (v. 10).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s